OPEE_Fund_8ano_capa_P1.indd

8º ano do Ensino Fundamental

No 8º ano, o aluno está numa fase de intensas transformações, já fechando o Ensino Fundamental e prestes a dar um importante passo, imaginando a vida no Ensino Médio e tudo o que ela significa. O humor já oscila, a relação entre meninos e meninas já está mudando, a adolescência a mil… Este é o momento de trabalhar muito o autoconhecimento, para ajudá-lo na transformação, na consolidação de valores, de uma visão de mundo sustentável e com respeito ao próximo.

AUTOCONHECIMENTO

Neste momento, o autoconhecimento é importante para a autoaceitação. Na adolescência, a autoestima precisa ser ressaltada, já que a opinião dos outros é tida como muito importante e, às vezes, gera reações ruins. Além disso, é fundamental trabalhar a percepção do o outro e a aceitação dele como ele é. Ter os próprios hábitos, conhecendo seus gostos, seus talentos e seus limites, faz parte da autoestima. A diminuição da dopamina nesta fase da vida acaba deixando o adolescente um pouco irritadiço e acreditando que nada está bom. Por isso, é importante ajudá-lo a manter hábitos que o ajudem a gostar de si mesmo, se descobrindo profundamente e se aceitando.

O aprofundamento dos valores  é focado em todos os anos do material. A ideia é trazer situações nas quais os valores foram empregados ou não (por exemplo, a solidariedade, quando e como ela é aplicada no dia a dia). O aluno precisa entender que os valores o ajudam a ter autoconsciência, para tomar melhores as escolhas, em todos os aspectos da vida.

O último tema do módulo é a habilidade. O livro contém uma série de habilidades que ele deve compreender e saber se tem ou não. A ideia é que ele reconheça o que pode ou não fazer e o que pode melhorar, para que no módulo seguinte ele tenha mais um critério de escolha ao decidir sua profissão.

Abaixo, o autor comenta sobre a obra e sua aplicabilidade neste eixo:

***

ESCOLHA PROFISSIONAL, EMPREENDEDORISMO E MERCADO DE TRABALHO

A primeira atividade deste eixo pode ser relacionada à anterior, no módulo 1, pois fala de habilidade. Mas, diferente da primeira, agora iremos explorar as habilidades relacionadas à diversas profissões. Assim, o aluno pode relacionar o que ele sabe com o que é necessário para seguir uma carreira. A ideia aqui não é limitar, mas sim criar um senso de compatibilidade de seus sonhos com uma carreira. É bom lembrar que tudo pode ser desenvolvido e o conceito de plasticidade do cérebro prova que podemos aprender ao longo de toda a vida.

Seguindo esse conceito, o livro, então, fala de disciplina. O cérebro pode ser plástico, mas para se conseguir desenvolver as habilidades necessárias é preciso ter disciplina e esforço. E não só em relação às profissões, já que tudo na vida é conquistado e é importante que o aluno compreenda que, sendo disciplinado, adquire qualidade em seu trabalho e excelência, além de desenvolvimento pessoal. Com tudo isso somado aos valores, o estudante pode, então, ter uma entrada no mercado de trabalho facilitada, pois seu esforço pode ser reconhecido.

download (1)

Para reforçar todos esses conceitos, a OPEE sempre apresenta um empreendedor no fim deste módulo em cada ano. No 8º ano, o aluno é apresentado à  Tomie Othake (foto). Considerada a “dama das artes plásticas brasileiras” pela carreira consagrada, construída ao longo dos últimos 50 anos, e pelo estilo ímpar de mostrar sua a obra e seu estilo de vida, nas quais força e suavidade têm o mesmo significado. A fama conquistada, desde a década de 60 nunca modificou o desafio a que se propõe: o eterno desejo e capacidade de reinventar. Em 2013, uma sala do Memorial da América Latina, em São Paulo, onde se encontrava um painel seu, pegou fogo. E, mesmo sem saber se houve danos à tapeçaria, a primeira coisa que Tomie disse quando soube do acontecido foi: “Então, precisamos já recomeçar a fazer o painel.” O detalhe é que ela já tinha mais de cem anos de idade. A obra tem 70 metros de comprimento, e foi encomendada por Oscar Niemeyer para melhorar a acústica do ambiente. Tomie Othake faleceu em fevereiro de 2015, deixando um imenso legado de obras, além de um instituto que leva o seu nome na capital paulista e abriga grandes exposições.

 

 

 

 

Abaixo, o autor comenta sobre a obra e sua aplicabilidade neste eixo:

***

EDUCAÇÃO FINANCEIRA

Neste módulo, o livro apresenta os tipos de investimento que existem e, então, conta como funciona a bolsa de valores, por exemplo. A ideia é fazer com que o aluno se familiarize com investimentos, aprendendo a administrar o dinheiro de forma eficaz para ser usado no futuro. Isso porque, para investir no futuro, é preciso poupar no presente. Dessa forma, visamos novamente aplicar a educação financeira como um mecanismo de sustentabilidade, já que o consumo desenfreado de produtos levará a uma realidade de maior escassez de recursos naturais. E não é só isso, já que o fato de consumir muito não gera felicidade, muito pelo contrário: crianças, adolescentes e também adultos que tudo têm tendem a dar pouco valor aos objetos e a si mesmas.

Abaixo, o autor comenta sobre a obra e sua aplicabilidade neste eixo:

Faça aqui a avaliação deste livro e teste seus conhecimentos.

3 comentários em “8º ano do Ensino Fundamental

  1. O interessante desta apostila é que começa a mostrar um pouco mais de realidade do mercado de trabalho, as dificuldades, concorrências, cobranças, etc. Assim estimula o aluno cada vez mais a buscar a escolha certa sempre pensando no bem estar pessoal. A busca da profissão ou ocupação é cada vez mais questionada pelos pais, assim o aluno começa a criar conflitos pessoais, sendo trabalhados em aula.
    As formas financeiras de investimento. Também são interessante para mostrar para os alunos formarem uma opinião própria

  2. Com os 8º anos, trabalhamos o conteúdo basicamente com essa transformação, onde a ética, o respeito mútuo, a justiça, o diálogo e a solidariedade aparecem traduzidos nos eixos propostos, contribuindo para a formação do aluno, na medida em que se direcione a aprendizagem aos desenvolvimento de atitudes, como a confiança e a própria capacidade para que transcenda o espaço da escola e que exercitem o respeito à forma de pensar das pessoas no mundo em que os rodeia.

  3. Em nosso colégio já trabalhamos com as transformações éticas dos alunos, demonstrando o respeito mútuo, respeitando o diálogo fazendo assim com que o aluno ao sair do colégio carregue consigo valores aprendidos para a sua vida profissional e pessoal, sendo uma pessoa melhor

Deixe uma resposta